Só 2 de 21 grandes hospitais públicos da região metropolitana do RJ têm certificado contra incêndios, diz relatório

  • 19/05/2024
(Foto: Reprodução)
É o que informou o próprio Corpo de Bombeiros, em resposta a um requerimento da GloboNews via Lei de Acesso à Informação. Há quase quatro anos, o Hospital Federal de Bonsucesso pegou fogo e mais de uma dezena de pacientes morreram – e a unidade ainda não obteve o certificado. Somente dois hospitais do RJ têm certificado de aprovação do Corpo de Bombeiros contra incêndio e pânico Um relatório do Corpo de Bombeiros aponta que apenas dois hospitais públicos do Rio de Janeiro têm o certificado de aprovação da corporação para controle de incêndio e pânico. A informação foi obtida pela GloboNews através de um requerimento na Lei de Acesso à Informação. Esse mesmo cenário já tinha sido visto em 2021 – e de lá para cá nenhum hospital conseguiu a aprovação. Inclusive, nem o hospital da corporação, que fica na Zona Sul do Rio, tem o documento. Veja a lista: Hospitais Municipais do Rio 1) Hospital Municipal Souza Aguiar – Centro 2) Hospital Municipal Salgado Filho – Méier 3) Hospital Municipal Miguel Couto – Leblon 4) Hospital Municipal Lourenço Jorge – Barra 5) Hospital Municipal Albert Schweitzer – Realengo 6) Hospital Municipal Rocha Faria – Campo Grande Hospitais estaduais 7) Hospital Estadual Azevedo Lima – Niterói 8) Hospital Estadual Carlos Chagas – Marechal Hermes, Rio 9) Hospital Estadual Getúlio Vargas – Penha, Rio 10) Hospital Central da Polícia Militar – Estácio, Rio 11) Hospital Central Aristarcho Pessoa (do Corpo de Bombeiros) – Rio Comprido, Rio 12) Hospital Estadual Alberto Torres - São Gonçalo Hospitais do Ministério da Saúde 13) Hospital Federal do Andaraí 14) Hospital Federal de Bonsucesso 15) Hospital Federal Cardoso Fontes 16) Hospital Federal de Ipanema 17) Hospital Federal da Lagoa 18) Hospital Federal Servidores do Estado Hospitais da Prefeitura de Duque de Caxias 19) Hospital Municipalizado Adão Pereira Nunes – Saracuruna, Duque de Caxias Segundo os bombeiros, o certificado de aprovação atesta que as condições arquitetônicas da edificação (área construída, número de pavimentos), bem como as medidas de segurança exigidas pela legislação (extintores, caixas de incêndio, iluminação e sinalização de segurança, portas corta-fogo) foram cumpridas. Hospitais sem aprovação dos bombeiros Reprodução/GloboNews Entre as unidades de saúde que não têm a aprovação dos bombeiros contra incêndio, estão todos os 6 hospitais da rede federal no Rio - que está passando por uma grave crise. Neste sábado (18), a greve dos funcionários dos hospitais federais entra no seu quarto dia. Estão paralisadas consultas, cirurgias eletivas e exames eletivos não-oncológicos. Segundo o Sindicato dos Servidores Federais, as unidades vão funcionar com apenas 30% do quadro de funcionários. Em outubro de 2020, um incêndio no prédio 1 do Hospital Federal de Bonsucesso provocou a morte de 16 pacientes. Até então, o Hospital Federal de Bonsucesso, às margens da Avenida Brasil, era a maior unidade de saúde do Rio em volume de atendimentos. Cerca de duas mil pessoas circulavam pelas alas todos os dias, segundo a assessoria de imprensa do hospital. Em março deste ano, o Fantástico entrou nos 6 hospitais federais e encontrou um quadro de calamidade. Em muitos setores dos hospitais, há aparelhos médicos quebrados e caixas de materiais vencidos ou danificados — como utensílios cirúrgicos e próteses ortopédicas, cujo valor passa dos R$ 20 milhões. Outro problema é a rede elétrica, que em muitos pontos está comprometida, colocando em risco a segurança de pacientes e funcionários. No Hospital Federal de Bonsucesso, na Zona Norte do Rio, um laudo da empresa responsável pela manutenção da rede já apontava, em maio do ano passado, a situação crítica, com cabos subdimensionados e superaquecidos, aumentando o risco de incêndios. A empresa recomendou não abrir mais setores no hospital para garantir que a estrutura não cedesse. Com isso, a ala da emergência está fechada há mais de três anos, sem previsão para ser reaberta. O que disseram os hospitais e corporações A Secretaria Municipal do Rio disse que gradativamente todas as unidades municipais estão avançando na obtenção do certificado. No âmbito estadual, o governo disse que a emissão do certificado obedece a várias etapas, incluindo possíveis obras de adequação. A Secretaria Estadual de Saúde disse ainda que o Hospital Estadual Alberto Torres já possui um projeto de segurança aprovado pelos bombeiros e que caminha para a aprovação final. O governo do RJ completou explicando que as outras unidades estão com seus projetos em andamento e que todas possuem brigadas de incêndio. O Ministério da Saúde informou que acompanha as ações dos seis Hospitais Federais relacionadas ao cumprimento das normas de prevenção e combate a incêndios junto ao Corpo de Bombeiros. E que além de já terem iniciado processo de adequação, as unidades possuem brigadistas e comissões internas de combate a riscos de incêndio, bem como extintores e mangueiras. A Polícia Militar disse que as providências materiais de garantia da segurança contra incêndios vêm sendo tomadas pela administração, como por exemplo medidas de segurança e combate ao incêndio, contratação de serviço de brigadistas privados, calibração contínua de extintores, distribuição suficiente de extintores em locais específicos do hospital, planos de evacuação, manutenção contínua e regular de equipamentos de combate a incêndios, entre outras. Por fim, uma série de diligências administrativas estão sendo providenciadas, para que ao final seja alcançado o referido certificado do corpo de bombeiros. O Corpo de Bombeiros e a prefeitura de Duque de Caxias não tinham se posicionado por meio de nota.

FONTE: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2024/05/19/so-2-de-21-grandes-hospitais-publicos-da-regiao-metropolitana-do-rj-tem-certificado-contra-incendios-diz-relatorio.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes