Empresas contratadas pela Prefeitura de Belford Roxo deixaram de fornecer 500 toneladas de alimentos para as escolas da cidade

  • 10/07/2024
Os contratos somados chegam a R$ 9,5 milhões. O RJ2 teve acesso a decisão da Justiça Federal e detalhou a participação de cada empresa. Secretário preso é exonerado, em Belford Roxo Três empresas contratadas pela Prefeitura de Belford Roxo para fornecer merenda aos alunos da rede pública entre 2018 e 2020 deixaram de enviar 500 toneladas de alimentos para as escolas da cidade, segundo investigações. Segundo as investigações da Operação Fames, deflagrada pela Polícia Federal (PF) e pelo Ministério Público Federal (MPF) e que teve como alvo supostos desvios do dinheiro da merenda do município, as empresas deixaram de entregar: Empresa JOTA 3 LOJA DE CONVENIÊNCIA: deixou de entregar pelo menos 37% do acordado SR Amorim: 60% RLC BARBOSA: 85%. Os contratos somados chegam a R$ 9,5 milhões. O RJ2 teve acesso a decisão da Justiça Federal e da participação de cada empresa no que foi acordado com a prefeitura. Segundo as investigações, quando a SR Amorim ganhou a licitação, não tinha nenhum empregado. E depois contratou só 2, um deles, Rodolfo Brum Pereira, sobrinho da mulher de Denis Macedo, o secretário de Educação de Belford Roxo preso nesta terça. A prisão de Denis foi mantida em audiência de custódia nesta quarta. Ele chegou a reclamar, com a juíza, da comida do presídio de Benfica. O outro contratado pela empresa é Leonardo Antonio Carvalho de Lima, irmão de uma mulher nomeada por Denis Macedo para um cargo em comissão na secretaria de educação. Quando o contrato terminou, os dois foram nomeados para cargos comissionados na Secretaria de Educação, também por Denis Macedo. O MPF diz que a SR Amorim Transportes e Merceria foi comprada por Alessandro Gomes Soares em maio de 2017 por R$ 800 mil reais e ele revendeu a empresa pelo mesmo valor em setembro de 2018 a Leonardo Silva de Oliveira. Os dois, segundo as investigações, são laranjas. Alessandro Gomes Soares tem salário de R$ 5.174 reais e o único bem em seu nome é um carro Nissan Sentra. Já Leonardo Silva de Oliveira tem como único registro na carteria de trabalho um emprego como motorista de caminhão, com salários que variaram de R$ 1.468,40 a R$ 1.880,09. Ele foi beneficiário de auxílio emergencial. Os sócios da RLC Barbosa Comercio e Serviços na época da licitação eram Jonilson Rigueiro Almechoeiro e Thais Silva de Carvalho. E, segundo o MPF, também podem ser laranjas. Jonilson não tem qualquer vínculo de emprego e, na época da licitação, morava uma casa humilde, em Nilópolis. A filha dele foi beneficiária do Bolsa Família e do Auxílio Emergencial em 2020. O que dizem os citados A defesa de Denis Macedo voltou a afirmar que o ex-secretário é inocente. A empresa JOTA 3 LOJA DE CONVENIÊNCIA informou que não tem conhecimento dos fatos que aparecem na investigação e se coloca a disposição para esclarecimentos. O RJ2 não obteve retorno das empresas SR Amorim e RLC Barbosa Comércio.

FONTE: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2024/07/10/empresas-contratadas-pela-prefeitura-de-belford-roxo-deixaram-de-fornecer-500-toneladas-de-alimentos-para-as-escolas-da-cidade.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes